24/05/09

EST.AMADORA 2-2 Belenenses - Época 1993/1994.

7 comentários:

JPS disse...

Obrigado João por esta Memória.

Agarrem-se a estes momentos e não desistam. Somos nós que temos de honrar a História e trazer de volta este ambiente ao Estádio José Gomes.

Força ESTRELA !!!

Ganso disse...

Lembro-me deste jogo. Estava lá...

Birame, era o nosso "Mantorras". Era o gajo que fazia animar as bancadas :D

Que se passou para os milhares de amadorenses (mesmo sendo benfiquistas, sportinguistas ou portistas) terem virado as costas ao Estrela?
Será da crise dos ultimos anos?
Será que deixou de estar na moda apoiar um clube pequeno?

rui socio 526 disse...

ya eu eb m lembro.cada vez k o birame entrava era uma festa porque la jogar não jogava muito mas nakele modo desingoncado la ia marcando uns golos...e lembram-se do ilo bonfante?cada cabecada parecia um remate...eu penso que antigamente havia amor ao clube,parecia uma familia e agora é so burgueses.antigamente os socios pagavam as suas quotas e viam os jogos de borla,alias era um ponto de encontro entre amigos(aquela tasca...),porque se via pelo menos 2 jogos por mês com o dinheiro das quotas tambem era raro haver dia de clube(ja mais recentemente tvez os 3 grandes) e agora é todos os jogos,bilhetes caros tudo isto influencia e se calhar com bilhetes bem mais baratos fazia-se mais receita...um abraco a todos os estrelistas rui socio 526

Anónimo disse...

acorda amadora tens um clube na 1 liga.não podemos ter só 200 sócios no estadio a apoiar o clube da nossa cidade.

Anónimo disse...

e sempre a pagar porque os convites são bem mais que os tais 200 socios que pagam o seu dia do clube.nós sim temos amor ao clube

rms disse...

Grande momentos. Lembro-me deste jogo.
Ficou na memória mas se tudo correr pelo melhor voltaremos a viver momentos como este!

(grande figura o Gabriel Alves - só rir ehehehe)

VIVA O ESTRELA

Ricardo Paiva disse...

Dois golos do meu amigo Fernando, já não o vejo desde que acabou cá a jogar no Rio-Ave.Ainda foi jogar para o América ,no México, um belíssimo ponta de lança com o indomável Birame, um poço de energia e vontade.