18/11/08

Lito Vidigal: "Dei a cara para ajudar os meus meninos."


Em entrevista esta terça-feira ao jornal Record, Lito Vidigal falou pela primeira vez desde que, precisamente há uma semana atrás se demitiu de técnico do nosso clube.

Lito assume ter batido com a porta por necessidade de fazer algo para despertar consciências, numa tentativa de obter ajuda para os "meninos" dele.

"Desde o primeiro dia, quando aceitei o cargo, que disse que iria colocar o Estrela da Amadora à frente de tudo, e foi isso que fiz. Senti que não havia outra saída a não ser sacrificar-me para que olhassem para este problema. Vejo com muita mágoa esta situação. O Estrela passa por graves dificuldades, mas é um clube viável, desde que se mantenha na Liga. Desportivamente está encaminhado para isso" diz Lito de forma emocionada.

Quando questionado se não terá abandonado o barco a meio da tempestade, Lito dispara: "Falei muito com os meus jogadores, com o presidente e os dirigentes. Sou muito preocupado com tudo o que me rodeia. E, neste caso, achei sempre que havia a possibilidade de se dar a volta. Não saí pelos ordenados em atraso. Estes espoletaram a situação: dei a cara e encontrei-me numa posição sem retorno. Pedimos ajuda, fizemos reivindicações e não conseguimos nada. Como tal, e como a minha palavra funciona como um BI da minha personalidade... Não estou arrependido e voltaria a fazê-lo para ajudar os meus meninos!"

Sobre o jogo em Coimbra, para a Taça de Portugal frente à Académica, e as atitudes de união demonstradas no final do desafio pelos nossos jogadores e equipa técnica, revela: "Conseguimos uma equipa fantástica, estamos muito unidos até pelas dificuldades. O que se viu foi essa união. O meu pedido de rescisão também tem que ver com esse momento. Isto, apesar de os meus atletas dizerem que as coisas não passavam por aí."

Em jeito de balanço considera o jogo ante o "Vit.Setúbal o mais conseguido, apesar da derrota". Todavia, prefere recordar "os dias de entrega total de todos."

5 comentários:

Anónimo disse...

ESTAS PALAVRAS DE LITO VIDIGAL, SAO REALMENTE O SENTIR DAQUILO QUE SE PASSA NO ESTRELA EM MATERIA DE COMPROMISSOS E PROMESSAS SUCESSIVAS, QUE ATE ESTE MOMENTO NAO FORAM CUMPRIDAS, OS PROFIISIONAIS DO CLUBE ESTA NO SEU PLENO DIREITO DE DEFENDER SEUS INTERESSES E DIGNIDADE PESSOAL.ALIAS SOUBE A POUCO QUE UM PSEUDO CHEQUE DE UMA EMPRESA QUE SE PRONTIFICOU A COLABORAR COM O ESTRELA, BATEU NA BARRA, DIGO ESTAVA INCOBRAVEL,QUANDO CHEGAMOS A ESTA VERONHOSA SITUAÇAO, DEVEMOS OS SOCIOS ESTAR PREPARADOS PARA TUDO DE NEGATIVO, MAIS DO QUE DE VERGONHOSO ESTA ACONTECENDO.AO SR LITO VIDIGAL, PERANTE TUDO ISTO NAO PODERIA CONTINUAR A COMANDAR ESTA NAU DE TORMENTAS E EXIGIR AOS ATLETAS, MAIS E MAIS, PORQUE TODOS TEM DIGNIFICADO A CAMISOLA TRICOLOR E SEM RETORNO A VISTA. ESTAMOS PERANTE MAIS UM CASO EM QUE O GOVERNO DA REPUBLICA JA DEVERIA TER TOMADO MEDIDAS SERIAS PARA ACABAR COM TODA ESTA GENTE QUE GRAVITA EM TORNO DO FUTEBOL PORTUGUES .CONTINUO A GRITAR BEM ALTO A MINHA REVOLTA, E DIGO QUE O MELHOR NO FUTEBOL PORTUGUES SAO OS JOGADORES E A BOLA ....VAZ CASACA....SOCIO 5O8...............

o Alexandre disse...

Não acho.

Ele é muito bom no que faz e vai ter um futuro auspicioso à sua frente porque trabalha muito bem, mas tomou uma atitude indigna nesta situação. Largou o barco a meio, abandonou os jogadores, e mais: viu-se com a fama de 7 jornadas e saltou fora antes que viessem os grandes e ele saísse depois disso, já sem tanta fama e com um mercado mais escasso.

Assim? Mal salte fora um treinador do primeiro escalão, ele vai logo vir à baila como possibilidade...

Pika^^ disse...

Também tive essa conclusão antes de saber da tua alex. Mas não sei o que se passa dentro do clube da Amadora.

Anónimo disse...

Mais um a concordar com o Alexandre porque ora vejamos 1 semana depois o que aconteceu?NADA (ordenados nem à vista) diz que se sacrificou pelos seus "meninos"?por amor de Deus foi um rato que abandonou o barco antes que fosse tarde demais (leia-se:antes que os maus resultados chegassem e se esquecesse o inicio de epoca bom), primeiro falou que era preciso manter o grupo unido e não permitia que o grupo não treinasse, mas depois pensou melhor e decidiu que tinha uma boa oportunidade para sair no topo e que ia sair como herois, chiça ainda há quem acredite nele que eu sei, mas a mim não me engana.

ricardo paiva disse...

Há no entanto um ponto comum nos treinadores, a questão financeira,em que ambas as partes têm razão, pois se trabalhar sem receber é péssimo, no entanto foram sempre seguros nos maus resultados pelo presidente de irem para o olho da rua e isso não há dinheiro que pague.
Neste caso ninguém sai bem na fotografia, mas o futuro dirá quem teve razão.
Desejo ao Lázaro sucesso desportivo e que faça bem o seu trabalho, esperando que o resto se resolva a bem de todos.